HISTORIA DO TIME DO ATLETICO MINEIRO

FUNDAÇÃO

O acontecimento que marcou o nascimento do Clube Atlético Mineiro se deu em 25 de março de 1908. Nessa data, um grupo de estudantes se reuniu no coreto do Parque Municipal, em Belo Horizonte, e criou aquele que se tornaria um dos maiores clubes do futebol mundial.

Fundadores: Aleixanor Alves Pereira, Antônio Antunes Filho, Augusto Soares, Benjamim Moss Filho, Carlos Maciel, Eurico Catão, Francisco Monteiro, Hugo Fracarolli, Humberto Moreira, Horácio Machado, João Barbosa Sobrinho, Jorge Dias Pena, José Soares Alves, Júlio Menezes Mello, Leônidas Fulgêncio, Margival Mendes Leal, Mário Neves, Mário Lott, Mário Toledo, Mauro Brochado, Raul Fracarolli e Sinval Moreira.

PRIMEIROS JOGOS

Como prenúncio da trajetória vitoriosa que viria a trilhar, o Atlético venceu o seu primeiro desafio. Foi em 21 de março de 1909, quando a equipe alvinegra derrotou o Sport Club Futebol, por 3 a 0, na casa do adversário. O primeiro gol do Galo foi marcado por Aníbal Machado, que se tornaria um grande escritor brasileiro.

O Sport não se conformou com a derrota, pediu revanche e foi novamente superado, desta vez pelo placar de 2 a 0. Na terceira partida entre as equipes, o Atlético aplicou uma goleada por 4 a 0, resultado que causou a extinção do Sport e o início do reinado atleticano em Minas Gerais, que perdura até os dias de hoje.

PRIMEIROS TÍTULOS

O Atlético foi o grande campeão do primeiro torneio de futebol realizado no Estado de Minas Gerais, disputado em 1914: a Taça Bueno Brandão (foto).

No ano seguinte, conquistou o primeiro campeonato oficial de futebol do estado, organizado pela Liga Mineira de Esportes Terrestres, atual Federação Mineira de Futebol (FMF).

 

Campeões da Taça Bueno Brandão, em 1914.

Em 1915, o Galo venceu o primeiro campeonato oficial de futebol do Estado, organizado pela Liga Mineira de Esportes Terrestres, atual Federação Mineira de Futebol (FMF).

REI DO CLÁSSICO

Maior vencedor do clássico mineiro, com ampla vantagem no retrospecto do confronto, o Atlético aplicou, em 1927, a maior goleada da história do confronto.

 

 

Válida pela fase final do Campeonato da Cidade, a partida foi disputada em 27 de novembro, no campo do América-MG, na Avenida Paraopeba, atual Avenida Augusto de Lima, e o Galo bateu o antigo Palestra Itália por 9 a 2. Os gols atleticanos foram marcados por Getúlio, Mário de Castro (2), Said (3) e Jairo (3).

Atlético 9 x 2 Cruzeiro

Atlético: Perigoso, Chiquinho, Brant, Franco, Ivo, Hugo, Getulinho, Said, Jairo, Mário de Castro e Getúlio.

Cruzeiro: Geraldo, Rizzo, Para-raio, Porfírio, Osti, Nininho, Piorra, Nani, Ninão, Bengala e Armandinho.

 

Em 2014, o Atlético bateu o rival nos dois jogos da primeira e única decisão nacional entre as equipes, sagrando-se campeão da Copa do Brasil daquele ano.

No jogo de ida, na Arena Independência, o Galo não tomou conhecimento do rival e venceu por 2 a 0, com gols de Luan e Dátolo.

Na partida de volta, novo triunfo atleticano, desta vez no Mineirão, por 1 a 0, gol de Diego Tardelli.

GALERIA DE FOTOS DO CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL DE 2014

 

PRIMEIRO JOGO INTERNACIONAL

Em 1929, o Galo disputou o primeiro jogo internacional de uma equipe mineira, vencendo o campeão português, Victória de Setúbal, por 3 a 1. Os gols foram marcados por Mário de Castro (2) e Said.

A partida foi disputada no estádio Antônio Carlos, que havia sido inaugurado em 30 de maio daquele ano. O jogo que marcou a inauguração foi contra o Corinthians e o Galo venceu por 4 a 2, com gols de Mário de Castro (3) e Said.

CAMPEÃO DOS CAMPEÕES

Em janeiro de 1937, o Atlético se sagrou Campeão dos Campeões do Brasil, na primeira competição interestadual profissional realizada no País.

 

 

Time que venceu a primeira competição interestadual profissional realizada no Brasil, em 1937.

O torneio foi organizado pela Federação Brasileira de Futebol (FBF) e reuniu as equipes vencedoras dos estaduais de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo. Logo depois da disputa, a FBF se fundiu à Confederação Brasileira de Desportos (CBD), atual Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

CAMPEÃO DO GELO

Em 1950, o Galo realizou inédita excursão pela Europa. Entre 2 de novembro e 7 de dezembro daquele ano, o time disputou dez partidas, contra equipes da Alemanha, Áustria, Bélgica, Luxemburgo e França.

Mesmo em condições bastante adversas, foram seis vitórias, dois empates e apenas duas derrotas.

 

 

A notável campanha nos frios gramados do Velho Continente, alguns cobertos de neve, rendeu ao Atlético o título simbólico de ‘Campeão do Gelo’ e abriu as portas da Europa para o futebol brasileiro.

Em 2015, o Centro Atleticano de Memória lançou o documentário “O Imortal do Gelo”, produzido sob a perspectiva do ex-jogador Walter José Pereira, o Vavá.

 

VITÓRIA SOBRE A SELEÇÃO BRASILEIRA

Em 3 de setembro de 1969, o Atlético se tornou a única equipe do mundo a derrotar a Seleção Brasileira que conquistaria o tricampeonato mundial, no México.

Atuando no Mineirão e utilizando a camisa da Federação Mineira de Futebol, o Galo venceu as “Feras do Saldanha” por 2 a 1, gols de Amaury e Dadá Maravilha, com Pelé, em posição de impedimento, descontando para o Brasil.

Escalações

Atlético
Mussula; Humberto Monteiro, Grapete, Normandes (Zé Horta) e Cincunegui (Vantuir); Oldair, Amauri Horta (Beto) e Laci; Vaginho, Dario e Tião (Caldeira).
Técnico: Yustrich.

Seleção Brasileira
Félix; Carlos Alberto, Djalma Dias, Joel e Rildo (Everaldo); Piazza, Gérson (Rivelino) e Pelé; Jairzinho, Tostão (Zé Maria) e Edu (Paulo César).
Técnico: João Saldanha.

 

Vitória por 2 a 1 sobre a Seleção Brasileira, em 1969.

E, se venceu a Seleção Brasileira, o Galo também já venceu por ela. Em 19 de dezembro de 1968, vestindo a amarelinha para representar o Brasil, o Atlético derrotou a seleção da Iugoslávia por 3 a 2, no Mineirão, com gols de Vaguinho, Amauri e Ronaldo.

 

Dois dias antes do duelo no Mineirão, a Iugoslávia havia empatado por 3 a 3 com a Seleção Brasileira, que tinha em campo Gérson, Rivellino e Pelé. O resultado provocou a queda do técnico Aymoré Moreira.

Veja algumas manchetes de jornal da época:

Slide 1 of 4

 

PRIMEIRO CAMPEÃO BRASILEIRO

Em 1971, o Atlético se sagrou campeão do primeiro Campeonato Brasileiro, conquistando o título com vitórias sobre São Paulo (1 x 0), no Mineirão, e Botafogo (1 x 0), no Maracanã, no triangular final da competição.

O artilheiro do torneio foi Dario, que marcou 15 gols, inclusive o do título, na vitória sobre o Botafogo.

Slide 1 of 6

 

HEXACAMPEÃO MINEIRO
Minas Gerais, nosso terreiro!

Maior campeão mineiro, o Atlético reina absoluto no Estado de Minas Gerais. Grande paixão do povo mineiro, o Galo teve sua maior sequência de títulos estaduais entre os anos de 1978 a 1983.

Reinaldo, com 47 gols, e Éder Aleixo, com 35, foram os maiores artilheiros do hexacampeonato mineiro.

 

BICAMPEÃO DA COPA CONMEBOL

Em 1992, o Atlético se sagrou campeão da primeira Copa Conmebol, torneio que reunia os terceiros e quartos colocados dos campeonatos nacionais.

O adversário na decisão foi o Olimpia, do Paraguai. O título foi alcançado com vitória por 2 a 0 no primeiro jogo da final, no Mineirão, gols de Negrini, e derrota por 1 a 0 na finalíssima, disputada no estádio Manuel Ferreira, em Assunção.

A taça foi erguida pelo capitão Paulo Roberto Prestes, no dia 23 de setembro.

O segundo título da competição foi conquistado em 1997, sobre o Lanús, da Argentina.

O Galo venceu o jogo de ida por 4 a 1, no dia 6 de novembro, no estádio La Fortaleza, em Buenos Aires. Os gols foram de Bruno, Marques, Hernani e Valdir.

Na partida de volta, em 17 de dezembro, o Alvinegro garantiu o bicampeonato com empate por 1 a 1, no Mineirão, gol de Jorginho.

REI DA AMÉRICA

A Glória Eterna – Em 2013, de forma heroica, o Galo foi campeão da Copa Libertadores da América.

A campanha do título foi emocionante e contagiou todo o continente sul-americano. No decorrer da disputa, o Galo venceu o São Paulo três vezes e também passou por equipes como Tijuana (MÉX), Newell’s Old Boys (ARG) e Olimpia (PAR).

Em campo, a equipe comandada pelo técnico Cuca teve o talento de Ronaldinho Gaúcho, a juventude de Bernard e Luan, o oportunismo de Jô e Alecsandro, a habilidade de Diego Tardelli, a força de Pierre e Leandro Donizete, a experiência de Gilberto Silva e Josué, a segurança de Réver e Leonardo Silva, a regularidade de Marcos Rocha e os milagres do goleiro Victor.

GALERIA DE FOTOS DA CONQUISTA DA LIBERTADORES 2013

 

GALERIA DE FOTOS DA COMEMORAÇÃO DA TORCIDA NA PRAÇA 7.

 

Recopa

Na noite do dia 23 de julho, os mais de 54 mil pagantes presentes ao Mineirão acompanharam uma batalha emocionante contra o Lanús, da Argentina.

No primeiro jogo, disputado no Estádio La Fortaleza, em Buenos Aires, o Atlético venceu por 1 a 0, gol de Diego Tardelli.

Na partida de volta, o Galo venceu por 2 a 0 na prorrogação, depois de perder por 3 a 2 no tempo normal.

Durante os 90 minutos, os gols atleticanos foram marcados por Diego Tardelli e Maicosuel. Na prorrogação, Gustavo Gómez e Ayala, ambos contra, garantiram a taça para o Atlético.

GALERIA DE FOTOS DA CONQUISTA DA RECOPA SUL-AMERICANA 2014

 

Ex-presidentes

01. Margival Mendes Leal (1908-1910)
02. Aleixanor Alves Pereira (1911)
03. Jair Pinto dos Reis (1912-1913)
04. Joao Luiz Morethzon (1914)
05. Roberto Xavier Azevedo (1915-1916 / 1923)
06. Nilo Rosemburg (1917)
07. Jorge Dias Pena (1918)
08. Antônio Antunes Filho (1919)
09. Álvaro Felicíssimo P. Xavier (1920)
10. Alfredo Furtado (1921-1922 / 1924-1925)
11. Leandro Castilho M. Costa (1926-1930)
12. Aníbal Matos (1931)
13. Afonso Ferreira Paulino (1932)
14. Thomaz Naves (1933-1938)
15. Casildo Quintino dos Santos (1939)
16. Sálvio Noronha (1940)
17. Hélio Soares de Moura (1940-1941)
18. Olímpio Mourão de Miranda (1942)
19. Alberto Pinheiro (1943-1944)
20. Edward Nogueira (1945)
21. Gregoriano Canedo (1946-1949)
22. Geraldo Vasconcelos (1949)
23. Osvaldo Silva (1949)
24. Jose Cabral (1950-1951)
25. Jose F. Paula Júnior (1952-1953 / 1956-1957)
26. Mario de Andrade Gomes (1954-1955)
27. Nelson Campos (1958-1959/1970-1973 / 1986-1988)
28. Antônio Alvares da Silva (1960)
29. Edgar Neves (1961)
30. Fabio Fonseca e Silva (1962-1963 / 1967)
31. Jose Ramos Filho (1964)
32. Lauro Pires de Carvalho (1964-1965)
33. Eduardo de Magalhães Pinto (1966-1967)
34. Carlos Alberto Naves (1968-1969)
35. Valmir Pereira da Silva (1974-1979)
36. Elias Kalil (1980-1985)
37. Afonso de Araújo Paulino (1989-1994)
38. Paulo Cury (1995-1998)
39. Geraldo Vieira da Silva (1998)
40. Nélio Brant Magalhaes (1999-2001)
41. Ricardo Annes Guimaraes (2001-2006)
42. Luiz Otávio Motta Valadares (2007-2008)
43. Alexandre Kalil (2008-2014)
44. Daniel Nepomuceno (2015-2017)
45. Sérgio Sette Câmara (2018-2020)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.